MST realizará protestos durante julgamento sobre Massacre de Felisburgo


MST protesta contra a lentidão do julgamento (foto: Antonio Cruz/ABr)

MST protesta contra a lentidão do julgamento (foto: Antonio Cruz/ABr)

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) planeja protestos com objetivo de impedir mais um adiamento do júri sobre o Massacre de Felisburgo, marcado para acontecer em Belo Horizonte nesta quarta-feira (21).

Esta será a terceira tentativa de julgamento do réu Adriano Chafik. Além dele, devem ser julgados os acusados de pistolagem no episódio, ocorrido em 20 de novembro de 2004. As informações são do site do Movimento.

No Massacre, cinco sem terras foram mortos e outros 12 ficaram feridos. O crime ocorreu na região mineira do Vale do Jequitinhonha. A mobilização do MST deve levar mais de mil pessoas à frente do Fórum na capital mineira.

Caso seja condenado, o latifundiário vai acumular mais uma derrota sobre o caso, já que no ano passado perdeu a ação que reclamava a propriedade de 515 hectares da fazenda palco do massacre. Segundo o Supremo Tribunal de Justiça (STJ), as terras foram griladas por Chafik e devem ser destinadas à Reforma Agrária.

Maria Gomes Soares, da coordenação estadual do MST e moradora do acampamento de Felisburgo, apontou que  “cada adiamento decreta a culpa do acusado” e afirma que  “a sociedade cansou de tanta injustiça”. Já são quase nove anos de impunidade do Massacre de Felisburgo. O suspeito chegou a confessar o crime, mas responde ao processo em liberdade. (pulsar)

Faça um comentário

46 + = 47