Prefeito do Rio é obrigado a recuar: Vila Autódromo fica


Comunidade é vizinha do Parque Olímpico e está ameaçada desde 1993 (foto: enpop.net)

Comunidade é vizinha do Parque Olímpico e está ameaçada desde 1993 (foto: enpop.net)

Após anos de luta contra a ameaça de remoção, a comunidade da Vila Autódromo finalmente conquistou sua permanência. A vitória foi anunciada após reunião com o prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (PMDB) realizada hoje (9). Os moradores conseguiram o compromisso de que a comunidade ficará onde está e que será reurbanizada.

Foi constituído um grupo de negociação que contará com técnicos da prefeitura, representantes de moradores e a assessoria técnica do Instituto de Planejamento Urbano e Regional da UFRJ e do Núcleo de Estudos e Projetos Habitacionais e Urbanos da UFF, laboratórios universitários que assessoraram a comunidade na construção do Plano Popular da Vila Autódromo. Foi esse estudo que comprovou não haver necessidade de remoção do bairro, que fica na zona oeste do Rio.

Os eventuais reassentamentos – em casos de construções feitas à beira da Lagoa de Jacarepaguá, por exemplo – serão feitos dentro da própria comunidade. Os moradores reafirmaram que a base para o projeto deve ser o Plano Popular, feito em 2012.

A luta da comunidade contra a remoção vem desde 1993. Desde então, o poder público já deu nove justificativas diferentes para a retirada da comunidade, sem que nenhuma fosse comprovada.

A ameaça se intensificou após o anúncio das Olimpíadas de 2016 na cidade e o próprio prefeito Eduardo Paes disse por diversas vezes que a comunidade seria obrigada a sair. Ontem, em reunião com o Comitê Popular da Copa e das Olimpíadas, Paes admitiu pela primeira vez a permanência da Vila Autódromo. Na reunião de hoje,  reconheceu que houve equívocos no tratamento dado à comunidade. (pulsar)

 

Faça um comentário

54 − 45 =