Municipalização é apontada como saída para a reabertura do Complexo Esportivo do Maracanã


Audiência realizada na Câmara Municipal do Rio para debater o abandono do Complexo do Maracanã (foto: Agência Pulsar Brasil)

Audiência realizada na Câmara Municipal do Rio para debater o abandono do Complexo do Maracanã (foto: Agência Pulsar Brasil)

Um cenário de abandono.  Um ano após as Olimpíadas, o legado esportivo  que ficou para a população do Rio foi o descaso. Na última terça-feira (22), o vereador Renato Cinco  (PSOL) promoveu um debate na Câmara Municipal do Rio de Janeiro para buscar soluções para o Complexo Esportivo do Maracanã, que deixou de ser um espaço de uso popular para se tornar um elefante branco do estado.

O evento contou com a participação do movimento ‘O Maraca é Nosso’; da treinadora do estádio de atletismo Célio de Barros, Edneida Freire; do líder da Aldeia Maracanã, José Guajajara; da subsecretária municipal de Esporte e Lazer, Patrícia Amorim e de usuários do complexo esportivo.

O encontro  retomou a frente em defesa do  Maracanã e já trouxe um indicativo de possíveis saídas para a crise que envolve o equipamento esportivo. A subsecretária Patrícia Amorim apontou que um dos caminhos emergenciais para a reabertura do complexo esportivo seria a municipalização  do Maracanã.

Demian Castro é geógrafo e integrante da Campanha ‘O Maraca é Nosso’. Ele lembrou à Pulsar Brasil que  o Maracanã nasce como um estádio municipal em 1950 e que  está previsto na Lei Orgânica da cidade do Rio a municipalização da arena. Segundo ele, a municipalização seria interessante apenas se a Prefeitura integrar um debate público com a população, do contrário, a proposta pode cair no mesmo erro atual.

O Complexo do Maracanã é formado pelo estádio Mário Filho, Parque Aquático Julio Delamare e o estádio de Atletismo Célio de Barros.  Durante a preparação da Copa e Olimpíadas, o governo do estado, então na gestão de Sérgio Cabral, colocou em prática o plano de privatização do espaço. O consórcio Maracanã S/A, liderado pela Odebrecht, venceu a licitação para administrar e explorar comercialmente o Maracanã por 35 anos. (pulsar)

Audios:

  • Patrícia Amorim, subsecretária de esporte e lazer, fala sobre a ideia de municipalização do Maracanã: Clique para baixar (316 kB)
  • Demian Castro, integrante da Campanha O Maraca é Nosso, fala sobre o modelo de municipalização para o Maracanã: Clique para baixar (1.008 kB)

Faça um comentário

49 − = 46