‘Valor ainda desrespeita Constituição Federal’, afirma Dieese sobre salário mínimo


(foto: Marcos Santos/Agência USP)

(foto: Marcos Santos/Agência USP)

O valor previsto para o salário mínimo do ano que vem é de mil e dois reais. Divulgada pelos Ministérios do Planejamento e da Fazenda na última quinta-feira (12), a projeção consta no projeto da LDO, Lei de Diretrizes Orçamentárias, de 2019, que será debatido pelo Congresso Nacional.

O valor representa um aumento de 5,03 por cenro em relação ao salário atual, que é de 954 reais, mas o aumento real é de um por cento. Segundo cálculos do Dieese, Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o país ainda não cumpre o que determina a Constituição Federal.

De acordo com a Carta Magna, o salário mínimo precisa atender as necessidades vitais básicas do trabalhador, incluindo, por exemplo, moradia, alimentação, educação, saúde, transporte e lazer.

O economista Clóvis Scherer, do Dieese, destaca que os cálculos da entidade apontam o valor ideal como sendo cerca de três mil e 700 reais, considerando o custo de vida. O número previsto para 2019 ainda é 3,6 vezes menor, o que inviabiliza a manutenção do trabalhador e das famílias.

O Brasil tem cerca de 48 milhões de pessoas assalariadas ou que recebem um salário mínimo pelo INSS, Instituto Nacional do Seguro Social. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

77 − = 68