Unicamp aprova cotas e prova exclusiva para indígenas no vestibular


(foto: Antonio Scarpinetti/ASCOM/ UNICAMP)

(foto: Antonio Scarpinetti/ASCOM/ UNICAMP)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) vai adotar o sistema de cotas com reserva de 25 por cento das vagas para candidatos autodeclarados pretos e pardos. A decisão do Conselho Universitário da Unicamp da última terça-feira (21) passará a valer a partir do vestibular de 2019.

A Unicamp também anunciou que pretende criar um vestibular para indígenas a partir de 2021. A reunião que decidiu as novas diretrizes da instituição contou com a participação de representantes de movimentos sociais e de povos indígenas.

De acordo com José Alves, da Comissão de Vestibulares da Unicamp, é a primeira vez que uma universidade pública vai ter uma junção de sistemas de ingresso. O vestibular tradicional continuará sendo o principal mecanismo, gerenciando aproximadamente 80 por cento das vagas.

A expectativa da universidade é aumentar o número de estudantes vindos de escolas públicas e de alunos pretos e pardos – que atualmente representam apenas 29 por cento dos estudantes. O objetivo é alcançar 37 por cento dessa população nos cursos de graduação. (pulsar/rba)

Faça um comentário

− 4 = 5