Tribos da amazônia se unem contra hidrelétricas


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

Representantes das tribos Munduruku, Apiaká, Kayabi e Rikbaktsa anunciaram sua oposição às quatro represas hidrelétricas que o governo pretende construir na bacia do rio Teles Pires, um afluente do rio Tapajós, que desemboca no Amazonas.

Valdenir Munduruku, um dos dirigentes indígenas, confirmou que as tribos se preparam para ocuparem os locais de construção. Ele afirma que as obras não podem continuar sem ouvir os indígenas.

De acordo com o comunicado divulgado pelas tribos, o governo constrói represas sem realizar estudos ambientais, sem compreender as consequências da destruição da natureza na vida dos povos tradicionais.

Os indígenas consultaram diversos técnicos de grupos ambientalistas, que respaldaram a iniciativa de união para o trabalho e o comunicado tentava uma possibilidade de acordo conciliatório com o governo.

As tribos dos Munduruku, Apiaká, Kayabi e Rikbaktsa são conhecidas desde o século 19, quando formaram uma primeira aliança, que enfrentou a ocupação de terras e o sequestro de indígenas, para usá-los como escravos. (pulsar/adital)

Faça um comentário

96 − = 92