Trabalho infantil afeta três milhões de crianças no Brasil


Trabalho infantil (foto: reprodução)

Trabalho infantil (foto: reprodução)

O trabalho infantil atinge em torno de três milhões de crianças no Brasil e requer atuação articulada de autoridades e políticas públicas para combater o problema. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que havia mais de 41 milhões de crianças no Brasil em 2014, das quais três milhões (8,1 por cento) eram ocupadas.  A tendência, contudo, tem sido de redução nas últimas décadas e a projeção é de que, em 2020, o número caia para pouco menos de dois milhões de crianças.

Segundo Isa de Oliveira, secretária executiva do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI), a região Sul está em primeiro lugar em número de crianças trabalhando, com 10,2 por cento, índice superior à média nacional. O Rio Grande do Sul é o quarto estado em maior número de casos de trabalho infantil (10,7 por cento).

Para a juíza do Tribunal Regional do Trabalho da Quarta Região, Andréa Nocchi, o problema é agravado pela falta de políticas públicas, pela disseminada violência e educação precária. Ela lembra que o Brasil não atingiu a meta de erradicar o trabalho infantil até 2015.

O ministro do Superior Tribunal do Trabalho, Lelio Bentes Corrêa, também defendeu a educação de qualidade e o respeito aos direitos humanos como ferramentas fundamentais para combater o trabalho infantil no Brasil. Para ele, os fatores econômicos, diretamente relacionados ao trabalho infantil, ganham mais força em épocas de crise. (pulsar)

*Com informações da ONU

Faça um comentário

38 − = 30