Seminário sobre convergência midiática começa nesta sexta (4) no Piauí


(arte: Amarc Brasil)

(arte: Amarc Brasil)

Nesta sexta-feira (4), começa o Seminário Regional Norte-Nordeste sobre convergência midiática, realizado pela Associação Mundial de Rádios Comunitárias (AMARC-Brasil), na Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Teresina. Nos dias 4 e 5 de dezembro o evento reúne 30 radialistas que atuam da Amazônia até a Bahia nas mesas de debate, oficinas e grupos de trabalho.

Participam ainda do encontro integrantes da única Escola Técnica Profissionalizante em Comunicação do Estado do Piauí, a ComRadio. É esperado também um representante do Laboratório TeleMidia da PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica) para falar sobre a ideia de “rádio híbrido”. O Seminário conta com integrantes do movimento negro em discussões sobre a relação entre tecnologia e ancestralidade.

Além disso, o Seminário será uma oportunidade de conhecer melhor a rede de cidadania Radiotube, uma plataforma na internet que permite a publicação e compartilhamento de conteúdos radiofônicos do Brasil todo. A parte artística fica com o grupo a Aparecidos Políticos, que pretende disseminar técnicas para dar visibilidade às lutas sociais. O Coco de Umbigada da Mãe Beth completa a programação cultural com toque pernambucano.

A convergência midiática acontece em todos os cantos, e não seria diferente nas rádios comunitárias e livres. As fronteiras e os meios de comunicação são cada vez mais permeáveis e, por isso, não surpreende que as inúmeras rádios que transmitem no Brasil sem fins lucrativos também estejam se reinventando. Frente ao uso pouco democrático oferececido pela legislação brasileira no que se refere às frequências radiofônicas, não há outra alternativa além de ser criativo. A convergência midiática para a comunicação comunitária e livre passou a ser uma ferramenta de enfrentamento dessa questão. Confira a programação completa. (pulsar)

Faça um comentário

+ 63 = 70