São Paulo sedia Mundial de Futebol de Rua durante a Copa


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

De 7 a 12 de julho, enquanto as grandes seleções disputam o Mundial da Fifa,  300 adolescentes de comunidades pobres de 24 países se reúnem em São Paulo para a Copa do Mundo de Futebol de Rua. A organização do evento espera um público de pelo menos 10 mil pessoas.

O futebol jogado será um pouco diferente do megaevento. A ideia é que tudo aconteça na rua, sem juiz, com colegas de diferentes idades e tipos físicos, sem as delimitações do campo e, vez ou outra, com interrupções para ajustar alguma regra de última hora. Para as oitavas, quartas, semifinal e final o jogo sai da rua para ser disputado em duas arenas públicas montadas na zona oeste da capital paulista.

O Futebol de Rua é necessariamente jogado com equipes mistas, sendo necessário pelo menos um menino ou uma menina no time. As regras são definidas entre as duas equipes, com base em princípios de cooperação, solidariedade e participação. Ganha quem mais respeitá-las.

Não existem juízes e sim mediadores, que têm a função de apenas facilitar o jogo, que é divido em três tempos: definição das regras, o jogo em si e a pontuação final. Para Fabian Ferraro, idealizador da metodologia, com o futebol são criados espaços de diálogo e de democracia, como uma ferramenta de cidadania. (pulsar/rba)

Faça um comentário

50 − = 49