Sadia e Perdigão lançam linha de alimentos feitos de sobras para os pobres


BRF cria linha de produtos com sobra da Sádia e Perdigão.(foto: reprodução)

BRF cria linha de produtos com sobra da Sadia e Perdigão.(foto: reprodução)

A marca BRF, que é dona da Sadia e Perdigão, anunciou que pretende criar uma linha destinada à “população de baixa renda e comerciantes de alimentos de todo país” feita a partir de sobras da Sadia e Perdigão. A linha recebeu o nome de Kindelli e deve começar a ser vendida ainda no início desse ano.

A comida feita de restos foi descrita pelo vice-presidente de operações no Brasil da BRF como uma oportunidade para “aproveitar melhor o excedente de matéria-prima”, ou seja, transformar subprodutos da indústria de alimentos em comida para populações pobres.

Dessa maneira, com a Kidelli, o que essa gigante da indústria alimentícia fará é vender presunto, empanados, mortadelas, linguiças e hambúrgueres feitos a partir de sobras que deveriam ser destinadas ao lixo, e não ao consumo humano.

Depois do escândalo da JBS em que se soube que carnes podres eram vendidas normalmente, agora é a vez da BRF comercializar alimentos feitos de matéria-prima mais que duvidosa.

De acordo com dados da ONU 1/3 de todos os alimentos que são produzidos mundialmente, inclusive com qualidade, são desperdiçados, muitas vezes para manter os preços em uma escala lucrativa, ou mesmo apodrecendo nas prateleiras dos supermercados. Além disso, o consumo de alimentos industrializados aumentou cerca de 400 por cento no Brasil e está intimamente associado às doenças crônicas como diabetes e hipertensão. (pulsar\esquerda diário)

Faça um comentário

+ 66 = 73