Ribeirinhos querem a suspensão das atividades da usina Cachoeira Caldeirão no Amapá


hidreletrica

Obra da hidrelétrica Cachoeira Caldeirão no Amapá (foto: divulgação)

Comunidades ribeirinhas do município de Porto Grande, no Amapá, pedem a suspensão das atividades da usina hidrelétrica Cachoeira Caldeirão. As famílias alegam vários prejuízos causados pela água represada no lago artificial do empreendimento.

Eles pedem que o Ministério Público verifique as falhas e cobre providências do órgãos responsáveis.

No mês passado, representantes da usina, moradores e várias instituições participaram de uma audiência pública para discutir o assunto. Uma das determinações foi a criação de uma equipe técnica formada por órgãos públicos e moradores para analisar os possíveis problemas. Um relatório com os apontamentos devem ser entregues ao Ministério Público em 15 dias.

Dentro do plano proposto, a empresa responsável pelo empreendimento, Energia Cachoeira, alega que já finalizou a vistoria dos imóveis que ficam às margens do rio Araguari em áreas urbanas. E, partir da próxima semana, prossegue com as análises nas áreas rurais. A companhia alega que segue e respeita legislação vigente e as normas do setor elétrico, além de atender a todas as exigências sociais e ambientais para a diminuição dos impactos da construção usina. (pulsar)

*Informação da Radioagência Nacional

Faça um comentário

4 + 4 =