Relatório final de CPI reconhece genocídio da juventude negra


(charge: Latuff)

(charge: Latuff)

A CPI da Violência contra Jovens Negros e Pobres, da Câmara dos Deputados, vota nesta quarta-feira (15) seu relatório final. A conclusão é de que está em andamento um genocídio nessa faixa da juventude brasileira.

A relatora da CPI, deputada Rosângela Gomes (PRB), usou os números do Mapa da Violência de 2014 para justificar a conclusão do relatório. Segundo o Mapa, mais de meio milhão de jovens foram assassinados em 10 anos, entre 2002 e 2012.

O relatório da CPI pretende instituir o Plano Nacional de Enfrentamento de Homicídios de Jovens, criar um Fundo para a Igualdade Racial e aprovar leis sobre o assunto em andamento no Congresso. Uma delas é a que acaba com o auto de resistência, tornando mais rígidas as regras para apuração de mortes e lesões causadas por policiais ou outros agentes do Estado.

O texto também recomenda reformas no sistema de segurança, inclusive com a criação de uma polícia estadual desmilitarizada.

O relatório final foi criticado por deputados ligados à área da segurança, como delegados e militares. Eles não aceitam usar o termo genocídio para definir a violência contra os jovens. E não aprovam as recomendações feitas para as instituições policiais. (pulsar/geledés)

Faça um comentário

43 − = 33