Relatório denuncia violações de direitos humanos aos Guarani do Oeste do Paraná


(foto: Júlio Carignano)

(foto: Júlio Carignano)

Na última quarta-feira (9), foi lançado o relatório “Guaíra & Terra Roxa sobre violações de direitos humanos contra os Avá Guarani”, no município de Guaíra, no Paraná. O estudo traz violações aos direitos humanos cometidas contra os quase dois mil Avá Guarani que habitam o Oeste do estado. A equipe de oito pesquisadores – entre indígenas e não indígenas – visitou pelo menos três vezes cada uma das 14 aldeias da região, com o propósito de fazer entrevistas, reunir dados e documentos que comprovassem essas violências e violações.

O relatório foi elaborado pela Comissão Guarani Yvy Rupa, com apoio do Centro de Trabalho Indigenista (CTI). Além de ouvir o testemunho de indígenas, o grupo colheu depoimentos de não indígenas que trabalham em contato permanente com as comunidades. De acordo com Alexandre Ferreira, da coordenação da Comissão Guarani Yvy Rupa, o objetivo deste trabalho é dar voz às comunidades Guarani do Oeste do Paraná e trazer ao conhecimento das autoridades as violações sofridas. Além disso, o documento pretende fortalecer a nossa luta pelo direito à terra, saúde e educação diferenciada como previsto na Constituição.

O objetivo de caciques e lideranças Guarani é que o relatório chegue ao conhecimento de entidades e organizações internacionais. Segundo Paulina Martines, liderança da aldeia Tekoha Y’hohy, as autoridades locais e estaduais sabem o que acontece nas comunidades e não fazem nada.

O lançamento oficial do relatório aconteceu na Escola Mbyja Porã da Aldeia Marangatu, com a participação de comunidades de Guaíra e Terra Roxa, lideranças indígenas de outros estados, autoridades políticas e do poder judiciário, da Funai (Fundação Nacional do Índio) e entidades ligadas aos direitos humanos e à causa indígena. Cerca de 500 indígenas saíram em marcha pelo município até a prefeitura e o Ministério Público Federal, órgãos onde o documento foi protocolado.

Nove de agosto é o Dia Internacional dos Povos Indígenas. A data contou com várias mobilizações pelo país contra a tese do marco temporal e os retrocessos impostos aos direitos dos povos originários pelo governo de Michel Temer. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

27 − = 17