Relatório aponta contaminação de agrotóxicos em aldeia indígena do MS


(imagem: reprodução)

Relatório da ONG internacional Human Rights Watch aponta Mato Grosso do Sul como um dos estados onde há contaminação por agrotóxicos em comunidades rurais. O relatório “Você não quer mais respirar veneno: As falhas do Brasil na proteção de comunidades rurais expostas à dispersão de agrotóxicos”, afirma que indígenas Guaranis e Kaiowás de uma comunidade próxima a Campo Grande sofreram com problemas de saúde após a contaminação.

De acordo com a organização, o local fica próximo à uma pequena floresta ao redor de um córrego. Na região, a cerca de 50 metros, há plantação de soja e milho. A Human Rights Watch falou com nove pessoas que vivem na localidade, entre homens, mulheres e crianças Guarani-Kaiowá.

“Eles descreveram diversos incidentes de intoxicação aguda por agrotóxicos nos últimos anos, por pulverização tanto aérea quanto terrestre. Em alguns casos, os moradores tratam os sintomas de intoxicação por agrotóxicos com uma solução natural feita com suco de limão, enquanto, em casos mais graves, eles relataram ter ido ao hospital local (a cerca de 45 minutos de carro)”, afirma a ONG.

A Human Rights Watch entrevistou 73 pessoas afetadas pela deriva de agrotóxicos em sete locais em zonas rurais no Brasil. Os locais abrangem comunidades rurais, comunidades indígenas, comunidades quilombolas e escolas rurais. Esses locais estão localizados nas cinco regiões geográficas do Brasil, em seis estados.

Entre os sintomas declarados pelas pessoas, consta sudorese, frequência cardíaca elevada e vômitos, além de náusea, dor de cabeça e tontura. A Human Rights Watch critica a falta de dados fornecida pelo Ministério da Saúde e a ausência de legislação.

Vale lembrar que a Câmara dos Deputados aprovou, em uma comissão especial, o Projeto de Lei 6299/02, que flexibiliza o uso de agrotóxicos no país. O texto depende de avaliação dos plenários da Câmara e do Senado para ir à sanção do presidente da República. (pulsar/combate racismo ambiental)

Faça um comentário

24 + = 27