Redução da violência contra a mulher ainda é o principal desafio para 2014


(foto: simnoticias)

(foto: simnoticias)

Para movimentos sociais de defesa dos direitos da mulher o principal desafio para 2014 é a redução do índice de violência contra a mulher. Mesmo assim afirmam  que 2013 foi um ano de importantes conquistas políticas. No entanto, um levantamento realizado em 80 países pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para medir as taxas de feminicídios preocupa: o Brasil ocupa a sétima colocação no ranking.

A falta de centros de apoio à mulher colabora para o alto índice de mortes. Em entrevista a Radioagência NP,  Sônia Coelho, da Sempreviva Organização Feminista (SOF) destacou a necessidade de um equipamento social para atender às mulheres. Para a ativista, juizados e delegacias especiais, abrigos e centros de referência são essenciais para evitar a morosidade dos processos  judiciais.

Sônia aponta também para um tipo de violência que tem se tornado muito comum hoje em dia: a superexposição via internet pelos companheiros ou ex-companheiros. Para a militante, medidas mais firmes do governo, principalmente da esfera municipal e estadual, deverão ser implementadas para que o Brasil não tenha um lugar de destaque entre os países que mais matam e agridem mulheres. (pulsar/radioagêncianp)

Faça um comentário

34 − = 28