Prefeitura aceita modificações no plano de urbanização da Vila Autódromo


(foto: página vila autódromo)

(foto: página vila autódromo)

Depois de irem à prefeitura, no dia 15 de março, solicitar formalmente um encontro com o prefeito para discutir o plano de urbanização da prefeitura para a comunidade, os moradores da Vila Autódromo tiveram diversas reuniões: com o Prefeito Eduardo Paes, no dia 28 de março, e com o sub-prefeito da Barra da Tijuca Alex Costa, nos dias 29 de março e 1 de abril, para discutirem o futuro da comunidade.

A comunidade inicialmente rejeitou o plano da prefeitura porque ele havia sido desenvolvido sem a participação da comunidade e foi anunciado apenas para um seleto grupo de jornalistas durante um evento no qual a participação dos membros da comunidade foi intencionalmente impossibilitada.

O plano de urbanização original da Prefeitura lançado no dia 8 de março não possuía muitos detalhes e deixava muito à imaginação. Através de 24 slides de PowerPoint, a maior parte da apresentação focou na redução do número de famílias na comunidade de 824 para 25, sem detalhar as duras batalhas por negociações, as ameaças rotineiras e as pressões psicológicas que ocorreram para chegar nesta redução.

Contudo, seguindo os recentes encontros com as autoridades públicas, parece que a comunidade tem conseguido garantir algumas modificações no plano original da prefeitura. As casas inicialmente geminadas serão separadas, com um aumento de 10 metros quadrados de 46 para 56 metros quadrados. De acordo com as plantas compartilhadas na página do Facebook da Vila Autódromo, cada casa será de um andar com dois quartos, uma cozinha, banheiro, e sala de estar.

A prefeitura também concordou em aumentar os terrenos de 125 para 180 metros quadrados deixando espaço para um pequeno jardim e uma entrada para carros. Dentro da comunidade, a prefeitura também aceitou  incluir um prédio para a Associação de Moradores, uma área comercial, um centro cultural e mais espaço público. Uma rua adicional irá conectar a Rua Nelson Piquet à já existente igreja católica. A comunidade também permanecerá numa Área de Especial Interesse Social por meio da Lei Complementar nº 74/2005.

O plano da prefeitura carece de um cronograma claro, apesar dos moradores terem sido assegurados de que suas novas casas estarão prontas antes do início das Olimpíadas em cinco de agosto. No entanto, ninguém articulou claramente quando a construção começará. As duas escolas incluídas no projeto serão construídas com material reciclado de um estádio olímpico que será desmontado depois dos jogos.

Moradores da comunidade incentivam apoiadores a continuarem com a campanha #UrbanizaJá para garantir que as melhorias aconteçam como acordadas e em tempo hábil. (pulsar/rio on warch)

Faça um comentário

3 + 2 =