Petroleiros anunciam paralisação no próximo dia 24


(foto: FUP)

(foto: FUP)

Em todo o país, aumenta a mobilização para a greve nacional dos petroleiros, no próximo dia 24 (sexta-feira), contra o novo Plano de Negócios e Gestão (PNG), que foi aprovado pelo Conselho de Administração da Petrobras, e prevê a venda de ativos no valor de 57 bilhões de dólares.

Além da venda de ativos constante no Plano, a coordenadora do Sindicato Unificado dos Petroleiros (Sindipetro-SP), Cibele Vieira, chama a atenção para um plano de otimização interna que, segundo ela, pode representar novos cortes da ordem de 10 bilhões de dólares.

Para ela, os cortes devem representar maior precarização da condição dos trabalhadores, a perda de direitos para petroleiros terceirizados e, em último caso, demissões.

A mobilização dos petroleiros também é contra o Projeto de Lei (PLS) 131, do senador José Serra (PSDB-SP), que retira da Petrobras a obrigatoriedade de participar do pré-sal em no mínimo 30 por cento.

Para Vieira, a Petrobras não pode se comportar como uma empresa privada, que só visa o lucro. E para o Brasil, ela acredita que é melhor ter a Petrobras como estatal. (pulsar/rba)

Faça um comentário

3 + = 9