Pela segunda vez em dois meses, temporal causa mortes e transtornos no Rio de Janeiro


O temporal que atingiu o Rio de Janeiro na noite da última segunda-feira (8) causou, até o momento, dez mortes / Centro de Operações Rio

O temporal que atingiu o Rio de Janeiro e região metropolitana na noite da última segunda-feira (8) causou, até o momento, dez mortes confirmadas. O corpo de Bombeiros localizou, na tarde desta terça-feira (9), três corpos dentro do táxi que estava soterrado na Ladeira do Leme, atrás do Shopping Rio Sul, em Botafogo, zona sul do Rio. Tratam-se de um homem, uma mulher e uma menor de idade. Tudo indica que é o táxi onde estariam a astróloga Lúcia Xavier Sarmento Neves e sua neta, Julia Neves Aché. Desde o início da manhã a família tenta encontrar Lúcia e Julia sem sucesso.

Outras três ocorrências foram registradas no Morro da Babilônia, no Leme, zona sul da cidade, após um deslizamento de terras que matou duas irmãs, Doralice e Gerlaine do Nascimento, de 55 e 53 anos e Gilson Cesar Serqueiro dos Santos, um vizinho das vítimas que também teve a casa soterrada. Mais uma vítima fatal das chuvas no Rio foi Guilherme Fontes, de 30 anos. Seu corpo foi encontrado debaixo de um carro, no bairro da Gávea, também na zona sul da cidade. Já Leandro Ramos Pereira, de 40 anos, morreu eletrocutado dentro de casa, na zona oeste. Reginaldo da Silva morreu afogado em Santa Cruz, na Favela de Antares e no fim da tarde foi encontrado mais um corpo pelos bombeiros no bairro Jardim Maravilha, em Guaratiba.

Ao todo, 785 pontos do município ficaram sem energia. A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil informou que na terça-feira (9) acionou 45 sirenes em 26 das 103 comunidades de alto risco geológico monitoradas pelo sistema de alertas sonoros da cidade. Os bairros que registraram o maior número de ocorrências foram Copacabana (18) ,Itanhangá (9), Leme e Campo Grande (8). Em São Conrado mais um trecho da ciclovia Tim Maia foi destruído.

Essa é a segunda vez em dois meses que a cidade registra vítimas fatais e destruição depois das chuvas. No início do mês de fevereiro, um forte temporal resultou na morte de pelo menos seis pessoas. As enchentes causadas pelas chuvas serão investigadas pela Câmara Municipal por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). (pulsar/brasil de fato)

*A reportagem completa está no Brasil de Fato

Faça um comentário

21 − 16 =