Pedro Cardoso abandona programa da TV Brasil em apoio aos grevistas


Pedro Cardoso apoia grevistas da EBC (foto: reprodução)

Pedro Cardoso apoia grevistas da EBC (foto: reprodução)

“Eu não vou responder esta pergunta e nem nenhuma outra porque quando cheguei aqui, hoje, encontrei uma empresa que está em greve, e não participo de programas de empresas que estão em greve.”

Foi assim que o ator Pedro Cardoso iniciou sua rápida participação no programa Sem Censura, da TV Brasil, na tarde da última quinta-feira (23). Após se encontrar com trabalhadores da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Cardoso cogitou não participar, mas mudou de ideia e deixou registrada sua indignação.

Pedro Cardoso também fez referência ao episódio em que o presidente da EBC, Laerte Rimoli, usou as redes sociais para compartilhar memes que ironizavam declaração da atriz Taís Araújo sobre o racismo cotidiano sofrido pelo seu filho.

“Não vou falar do assunto que vim aqui falar e nem de nenhum outro.
O que eu soube também quando cheguei aqui, é que o presidente desta empresa, que pertence ao povo brasileiro, fez comentários extremamente inapropriados a respeito do que teria dito uma colega minha onde a presença do sangue africano é visível na pele. Porque o sangue africano está presente em todos nós, em alguns de nós está presente também na pele. Mas em todos nós ele está. Se esta empresa, que é a casa do povo brasileiro, tem na presidência uma pessoa que fala contra isso, eu não posso falar do assunto que vim falar aqui”, disse.

Após falar sobre suas motivações, Cardoso anunciou sua saída. “Tenho imenso respeito por todos vocês que estão aqui, vou me levantar, em respeito aos grevistas, e vou embora”, afirmou, cumprimentando os integrantes do programa e se retirando em meio à transmissão ao vivo.

Em nota a EBC disse que o ator Pedro Cardoso expressou-se livremente no programa Sem Censura e que esta postura da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) é o resultado da diretriz jornalística e profissional implementada pela atual direção.

A empresa afirmou ainda que a programação é a prova viva – e ao vivo – de que a EBC  é plural, é democrática, acolhe a diversidade de opinião e respeita a lei, inclusive o direito de greve. (pulsar)

*Com informações da RBA

Faça um comentário

4 + 6 =