Parlamentares lançam Comissão paralela de Direitos Humanos


Parlamentares lançam Comissão paralela de Direitos Humanos na próxima quarta-feira (foto: facebook)

Parlamentares insatisfeitos com a eleição do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias lançam nesta quarta-feira (20), a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos.

De acordo com informações da Agência Câmara, os deputados que criaram o grupo consideram a frente como uma espécie de Comissão paralela à oficial. Dois dos idealizadores da frente são ex-presidentes do colegiado: deputados Domingos Dutra (PT-MA) e Nilmário Miranda (PT-MG).

Dutra abandonou o plenário onde ocorria a eleição para o seu substituto, no dia 7 de março, em ato que foi seguido por outros parlamentares. Os deputados protestavam contra a forma como ocorreu a eleição. Na ocasião, manifestantes e representantes de entidades ligadas aos direitos humanos foram impedidos de entrar na sala onde acontecia a reunião.

O Pastor Marco Feliciano é acusado por deputados e entidades de ter feito comentários racistas e homofóbicos em sites de relacionamento da internet. Na semana passada, os deputados entraram com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) contestando a decisão da presidência da Câmara de impedir os manifestantes de participar da reunião que elegeu Feliciano.

Pastor Marco Feliciano, por sua vez, afirmou que conduziria os trabalhos da Comissão “como um magistrado”. Ele foi mantido no cargo por seu partido, o PSC, após uma reunião para discutir sua situação depois das manifestações dos deputados.

Desde a polêmica eleição do Pastor para o cargo, inúmeros protestos estão ocorrendo em todo o Brasil. Esse final de semana, em pelo menos nove capitais , manifestantes pediram a renúncia do parlamentar. As manifestações ocorreram em São Paulo, no Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Maceió, Manaus e Rio Branco. (pulsar)

Faça um comentário

37 − = 33