Para petroleiros, exploração do pré-sal pela Petrobras preserva a soberania nacional


(foto: agência brasil)

(foto: agência brasil)

A decisão do governo federal de autorizar a Petrobras a explorar reservas do pré-sal de 10 a 15 bilhões de barris de petróleo contrariou setores do mercado. Mas, segundo a Federação Única dos Petroleiros (FUP), a decisão atende aos interesses e à soberania nacional, além de ser respalda por lei federal.

De acordo com João Antônio de Moraes, coordenador da FUP, o mercado e as petrolíferas privadas esperavam que as áreas excedentes fossem devolvidas à Agência Nacional de Petróleo (ANP) para serem licitadas. Porém, a decisão da presidente Dilma Rousseff preservou o interesse nacional ao contratar diretamente a Petrobras. Ainda segundo Moraes, pela primeira vez nas últimas duas décadas a Petrobras voltará a ter o controle integral sobre áreas estratégicas de petróleo, que nos próximos anos deverão dobrar suas atuais reservas.

Setores da imprensa sensíveis aos rumores do mercado reagiram condenando a autorização “sem licitação”. Contudo, a decisão possui respaldo legal. O artigo 12 da Lei 12.351/2010 prevê a medida em casos de preservação do interesse nacional e atendimento aos objetivos da política energética.

A reação de contrariedade se refletiu no valor das ações da companhia. No mesmo dia da decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), que ocorreu em 24 de junho, os papéis da companhia fecharam em baixa de 3,49%. São esperados mais de 600 bilhões de reais de royalties direcionados à educação e saúde. (pulsar/rba)

Um comentário

  1. Alexandre Goulart Paiva says:

    Gostaria que o Brasil se tornasse mais dono das ações ordinárias da petrobras , até 100% se possível. Poderia fazer novos aportes na Petrobras e injetar mais algumas dezenas de bilhões em mais dezenas de plataformas. A educação e a saúde agradecem .

Faça um comentário

− 4 = 1