No Paraná, encontro promove o fortalecimento do rádio em áreas rurais


(foto: mst)

(foto: mst)

O rádio ainda é o principal veículo de comunicação em áreas rurais do Brasil. Dados do mapa da mídia nas comunidades rurais e tradicionais realizado pela Associação Mundial de Rádios Comunitárias (AMARC Brasil) apontam que existem apenas 32 rádios com outorga em zonas rurais em todo o país. No entanto, apesar da dificuldade de legalização para funcionar e exercer o direito básico da comunicação, experiências radiofônicas surgem diariamente com o objetivo de democratizar o acesso à informação.

Um exemplo é o primeiro Encontro de Comunicação Popular que ocorreu no assentamento 8 de Abril, entre os dias 25 e 28 de setembro, em Jardim Alegre, no Paraná. O curso de formação realizado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) reuniu quinze pessoas que já trabalham com o rádio nos acampamentos e assentamento do movimento.

Durante a oficina, os participantes tiveram aulas sobre a importância da comunicação de uma maneira global e depois se aprofundaram nas técnicas e formatos radiofônicos. Segundo Riquieli Capitani, representante do MST no Paraná, a ideia é que este seja um processo continuo de formação, já que em muitas áreas o rádio é o único meio de comunicação possível que colabora para gerar unidade na luta pela reforma agrária.

De acordo com o último levantamento realizado pelo movimento, o estado do Paraná conta atualmente com sete rádios livres distribuídas em cinco assentamentos e dois acampamentos da região. (pulsar)

Audios:

Faça um comentário

− 5 = 4