No Chile, escolas públicas terão livro sobre família formada por casais homossexuais


(foto: Victor Farinelli)

(foto: Victor Farinelli)

Em 2015, as crianças chilenas conhecerão a história de Nicolás, um menino que vive em uma família formada por um casal homossexual. Ele mora com os dois pais, Sebastián e Pablo, embora também passe alguns fins de semana com Clara, a mãe biológica. Florencia, a melhor amiga no colégio, não entendia a família de Nicolás, mas, com o tempo, a aceitou, e eles passaram a frequentar a casa um do outro. Assim é o conto “Nicolás Tiene Dos Papás”, ou, em português, “Nicolás Tem Dois Papais”, com texto de Leslie Nicholls e ilustrações de Roberto Armijo. O livro infantil foi criado por iniciativa do Movimento pela Integração e Liberação Homossexual e patrocinado pelo governo do Chile.

A publicação será distribuída gratuitamente e fará parte do currículo do ensino infantil e fundamental públicos do Chile no ano que vem. As instituições particulares que quiserem também podem solicitá-la de forma gratuita. A história de Nicolás é apenas a primeira de uma série de contos infantis com temas de diversidade sexual que serão lançados nos próximos meses, também com patrocínio estatal e distribuição gratuita.

A cerimônia de lançamento do livro contou com uma versão teatral da história e, segundo o porta-voz do Movimento, Óscar Rementería, existe um projeto de transformar o livro de Nicolás em uma linguagem audiovisual. Durante o evento, uma mulher, que dizia falar em nome da comunidade evangélica chilena, se colocou contra a iniciativa. A principal acusação dos que se opõem ao livro é a de que ele seria uma forma de “propaganda para as crianças” sobre orientação sexual.

De acordo com Ramón Gómez, presidente do Movimento pela Integração e Liberação Homossexual, o livro visa contribuir para formar uma geração que tenha outra visão sobre as famílias de casais homossexuais e defende o respeito pelas diferentes formas de família. Segundo Gómez o livro não trata da questão sexual.

Em 2011, o governo do Brasil suspendeu a divulgação de um kit anti-homofobia nas escolas após pressão da bancada evangélica no Congresso Nacional. O material era composto por vídeos, cartazes e um caderno para professores com o objetivo de tratar o tema do preconceito contra pessoas homossexuais e transsexuais no ensino público. (pulsar/opera mundi)

Faça um comentário

48 − = 38