Mulheres se mobilizam pelo Brasil em defesa da água


Mulheres em luta na Bahia (Marcha Mundial das Mulheres PE)

Mulheres em luta na Bahia (Marcha Mundial das Mulheres PE)

A sede da Nestlé em São Lourenço, Sul de Minas Gerais, foi ocupada por 600 mulheres sem terra às seis horas da manhã desta terça-feira (20). As mulheres, que seguem na Jornada Nacional de Lutas, denunciam a entrega das águas às corporações internacionais, conduzida a passos largos pelo governo de Michel Temer. Elas alertam para as negociatas que ocorrem neste momento no Fórum Internacional das Águas, em Brasília.

A empresa, que controla 10,5 por cento do mercado mundial de água, está instalada na cidade desde 1994, quando comprou as fontes e o Parque das Águas de São Lourenço. Desde 1997 a população local denuncia a exploração das águas minerais que, antes de serem privatizadas, eram amplamente utilizadas para tratamentos medicinais.

Já na Bahia, cerca de duas mil mulheres ocuparam a unidade da Companhia Hidroelétrica do Vale do São Francisco (CHESF), na cidade de Paulo Afonso. Desde cinco horas da manhã dois portões da empresa foram fechados pelas militantes dos estados da Bahia, Pernambuco, Paraíba, Sergipe e Alagoas. A ocupação é contra a privatização da companhia ligada ao grupo Eletrobrás.

No Espírito Santo, cerca de 200 Mulheres do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) trancaram a BR 101 no município de Conceição da Barra em luta denunciando o agronegócio, contra a reforma da previdência e a privatização da água.

As mobilizações acontecem no contexto do FAMA 2018, o Fórum Alternativo Mundial da Água, um contraponto ao  8º Fórum Mundial da Água, que tem apoio de empresas multinacionais, como Coca Cola, Nestlé, Ambev e Dow Química, uma das maiores produtoras de agrotóxicos do mundo, com interesse direto na privatização da água.

A Pulsar Brasil produziu uma série intitulada “Especial FAMA 2018 – Impactos da Mineração”. Para conferir e ouvir as dez reportagens clique aqui. (pulsar)

*Com informações do Brasil de Fato e RBA

Faça um comentário

− 3 = 7