MPF pede retratação do SBT por defender tortura em telejornal


(imagem: reprodução)

(imagem: reprodução)

O Ministério Público Federal (MPF) pede retratação do SBT pelos comentários da jornalista Rachel Sheherazade durante o telejornal “SBT Brasil”, quando foi exibida uma matéria em que um grupo espancava, tirava a roupa e amarrava pelo pescoço em um poste um jovem negro de 15 anos no Rio de Janeiro. Após a reportagem, a apresentadora afirmou que a atitude é “até compreensível” por conta da onda de violência que vivemos no Brasil e que, frente à omissão do Estado, resta ao “cidadão de bem” se defender.

A ação civil pública contra o canal de televisão considera que as declarações justificando e legitimando a agressão contra o jovem acusado de furto violam a dignidade da pessoa humana e direitos da criança e do adolescente.

O MPF pede que o SBT exiba um quadro esclarecendo aos telespectadores que tal postura constitui atividade criminosa ainda mais grave do que os crimes de furto imputados ao adolescente agredido. A ação solicita ainda o pagamento de 532 mil reais de indenização por dano moral coletivo.

Para o procurador Pedro Antonio de Oliveira Machado, o comentário defendeu a tortura praticada e violou o princípio da dignidade da pessoa humana. Além disso, a âncora já considerou o jovem culpado e condenado, ignorando a presunção de inocência prevista na lei. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

13 − = 3