Movimentos sociais realizam ações em oito rodovias no Paraná


(foto: mst)

(foto: mst)

Organizações e movimentos sociais do campo e da cidade realizam entre os dias 12 e 13 de agosto mobilizações em oito rodovias do Paraná. O objetivo principal é reivindicar ações concretas do poder público, chamando atenção da sociedade civil para a importância de políticas estruturantes de consolidação e fortalecimento da agricultura familiar e camponesa, a Reforma Agrária e a agroecologia.

A Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2014 como o “Ano Internacional da Agricultura Familiar”, e reconheceu a contribuição da Agricultura Familiar e Camponesa para a segurança alimentar, nutricional e para a erradicação da pobreza no mundo. Somente no Brasil, o setor é responsável pela produção de 70 por cento dos alimentos consumidos pela população.

No entanto, segundo os movimentos sociais do campo, ainda há muito para se fazer. Apesar de existirem várias ações públicas de apoio ao setor, houve poucos avanços. Neste contexto, os trabalhadores do campo e da cidade buscam o reconhecimento e a valorização desta categoria e apresentam pautas de reivindicação, entre elas nas áreas da habitação, do crédito, da agroindustrialização, da assistência técnica e extensão rural, da matriz energética e da melhoria na qualidade da educação.

Os trabalhadores também cobram o fortalecimento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que tem por objetivo promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), de 2014, nos últimos três anos, o Programa adquiriu produtos de 14 mil e 700 agricultores paranaenses. Estes alimentos foram distribuídos, a cada ano, a quase três mil e 500 entidades no estado. (pulsar/combate racismo ambiental)

Faça um comentário

+ 83 = 92