Movimentos lamentam a morte de Paulo Henrique Amorim


O jornalista Paulo Henrique Amorim morreu aos 77 anos no Rio de Janeiro (foto: reprodução)

Na manhã desta quarta-feira (10) morreu o jornalista Paulo Henrique Amorim, 77 anos, no Rio de Janeiro. De acordo com informações divulgada nos meios de comunicação, o apresentador teve um infarto fulminante após retornar de um jantar.

Paulo Henrique começou sua carreira em 1961 e passou pelos veículos de comunicação mais importantes do Brasil. O jornalista também comandava o blog Conversa Af


iada, que se tornou um importante espaço que questionou o golpe de 2016 que destituiu a presidenta Dilma. Nos últimos tempos, PHA, como era conhecido, foi um contundente crítico do governo Bolsonaro.

Recentemente, o jornalista foi afastado do seu cargo como apresentador do Domingo Espetacular, que exercia desde 2006, na Record. Segundo divulgado na imprensa,  o afastamento de PHA ocorreu devido às suas críticas ao juiz Sérgio Moro e ao presidente Jair Bolsonaro.

Várias organizações lamentaram a morte do jornalista. O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) lembrou que o blogueiro apoiou o Projeto de Lei de Iniciativa Popular da Mídia Democrática e a campanha Calar Jamais. A entidade destacou ainda  que “Paulo Henrique foi um dos blogueiros mais atuantes na denúncia do golpe de 2016 e do autoritarismo que cresce no país”.

Por meio de nota, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) destacou que “o jornalismo perde um de seus melhores, Amorim nos deixa em um momento em que a verdade tem sido diariamente atacada, em que a conspiração fere a constitucionalidade a transparência, diante disso, sua ausência torna-se ainda mais grave”.

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) ressaltou a contribuição de Paulo Henrique para a pauta da Democratização da Comunicação no país e disse que o jornalista “acreditava no potencial da pluralidade de vozes e na necessidade de quebrar oligopólios na comunicação”.(pulsar)

 

Faça um comentário

+ 84 = 90