Ministério Público Federal exige a recontratação de professores indígenas no Pará


Crianças Munduruku. (foto: cimi)

Crianças Munduruku. (foto: cimi)

O Ministério Público Federal (MPF) de Santarém, no  Pará, informou que a prefeitura do município de Jacareacanga será solicitada para recontratar os 70 professores indígenas Munduruku demitidos sem justa causa no mês de fevereiro.

Segundo o procurador Luis de Camões Lima Boaventura, ainda não houve um acordo pela recontratação em função da ausência da Secretaria Municipal de Educação Cultura e Desporto de Jacareacanga na reunião da última quarta-feira (21). De acordo com Boaventura, o que ficou acordado com os indígenas é que, na próxima semana, o MPF fará uma recomendação pela recontratação imediata de todos os professores sob pena de uma ação judicial contra a prefeitura. No ofício,  que será enviado aos órgãos competentes em Jacareacanga, o MPF dará um prazo de 20 dias para recontratação de todos os demitidos.

Os Munduruku estão desde o início de fevereiro reivindicando o retorno dos professores às atividades nas aldeias. No início deste mês, após quase três meses da demissão, os indígenas fizeram várias manifestações em frente a Secretaria de Educação de Jacareacanga. Devido às manifestações, numa ação anti-indígena, integrantes do poder público local, junto com garimpeiros e comerciantes atacaram cerca de 20 indígenas com paus, pedras e rojões, alegando que os Munduruku teriam ateado fogo na casa de apoio aos professores. O ataque fez com que o Ministério Público Federal  intervisse pedindo atenção da Polícia Federal e Polícia Militar sobre a situação da cidade. (pulsar/cimi)

Faça um comentário

78 − 71 =