Mercado de vigilância em vídeo ganha força no país com megaeventos esportivos


Robôs militares farão a vigilância na Copa (foto: metropolitana)

Robôs militares farão a vigilância na Copa (foto: metropolitana)

Os megaeventos esportivos tem aquecido ainda mais o mercado de sistemas de vigilância em vídeo no Brasil. Segundo a pesquisa da empresa IMS Research, até 2014 o país concentrará 45% do total desse mercado na América Latina. A infra-estrutura serviu para estratégia de repressão à manifestações.

O autor da pesquisa, Oliver Philippou, afirmou que equipamentos de vigilância serão usados para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 “ em um grande número de projetos de infraestrutura no Brasil e diversos projetos de vigilância extensiva nas cidades”. A multinacional americana IBM ficou responsável por projetar os Centros Integrados de Comando e Controle que concentram as decisões referentes a segurança durante os jogos.

Nestes, telas gigantescas monitoram desde as câmeras de rua ao redor dos estádios até a dados meteorológicos. No Rio de Janeiro e em Minas Gerais, os centros tecnológicos tiveram um papel de destaque na estratégia de repressão policial aos massivos protestos que ocorreram em junho ao trabalhar em cooperação com os agentes e órgãos de segurança pública.

As instalações do Rio custaram cerca de 104,5 milhões de reais. Desse valor, 70% foram pagos pelo do Estado e 30% pela União, segundo dados divulgados pela prefeitura. O Centro foi inaugurado no final de maio deste ano, semanas antes do início das manifestações e da Copa das Confederações. Na ocasião, o ministro da Justiça José Eduardo Cardoso saudou a obra “impactante pela tecnologia e funcionalidade”.

A IBM também ganhou o contrato de implementação de 27 Centros Integrados de Comando e Controle Móvel (CiCCM), junto com as empresas Rontan e Medidata, e Cisco. São 27 caminhões com tecnologias da informação, sistemas de comunicações e vídeo-monitoramento para a Copa de 2014, que vão funcionar como postos avançados de comando e controle, operados por agentes de segurança. (pulsar/apublica)

Faça um comentário

71 − 63 =