Memória do Regime Militar: onde Democracia e Ditadura se encontram?


(arte: pulsar brasil)

(arte: pulsar brasil)

A terceira e última reportagem sobre o Golpe de 64 produzida pela Pulsar Brasil resgata a memória de ex- presos políticos do Regime Militar que passaram pelos porões da Ditadura e traça um paralelo dos principais resquícios dos anos de chumbo que permanecem enraizados na violência policial dos dias de hoje.

Manoel Martins é advogado e sobrevivente do Regime Militar. Na época do Golpe, Martins era integrante do Partido Comunista  e foi preso na cidade de Niterói sob à acusação de ideólogo de greves e movimentos operários. Com noventa anos, o advogado relembra com detalhes os momentos de terror que passou na prisão. Segundo Martins, as torturas psicológicas e humilhações eram usadas com muita frequência pelos militares.

Confira a última reportagem da série Golpe de 64 – 50 anos depois e conheça mais sobre a memória e os resquícios da Ditadura que ainda criam uma Democracia partida .

A série Golpe de 64 – 50 anos depois, produzida pela Pulsar, conta com uma reportagem semanal sobre a ditadura ao longo de todo o mês de abril.

Audios:

Faça um comentário

+ 42 = 47