Médico condenado por estuprar pacientes vai cumprir pena em casa


O médico Roger Abdelmassih, condenado a 181 anos de prisão por estuprar pacientes durante procedimentos para fertilização (Foto: Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai)

O médico Roger Abdelmassih, condenado a 181 anos de prisão por estuprar pacientes durante procedimentos para fertilização (Foto: Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai)

O médico Roger Abdelmassih, condenado a 181 anos de prisão por estuprar pacientes durante procedimentos para fertilização, teve sua pena convertida do regime fechado para  prisão domiciliar pela Justiça. A defesa entrou com recurso pedindo indulto humanitário por conta de doenças que o médico de 74 anos sofre. A Justiça negou o perdão, mas concedeu a prisão domiciliar, com a possibilidade do condenado  fazer tratamento em hospitais que escolher.

O Ministério Público foi contrário à medida, mas o juiz alegou que o quadro de saúde do médico se agravou nos últimos meses e que Abdelmassih precisa de cuidados constantes, que não poderiam ser oferecidos no presídio. A sentença determinou que ele deverá passar por perícia médica a cada três meses para avaliar o quadro de saúde. Caso tenha condições, deverá retornar à prisão. Terá de usar tornozeleira eletrônica e não poderá se ausentar da cidade em que mora sem autorização.

Além da condenação pelo crimes que cometeu terem chamado atenção à época do julgamento, Abdelmassih também ficou famoso depois de ter fugido do país após ter recebido um habeas corpus do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. Passou mais de três anos foragido no Paraguai. (pulsar/revista fórum)

Faça um comentário

82 + = 87