Manifestante do MST morre e outros ficam feridos após atropelamento


(foto: Mídia Ninja)

Uma pessoa morreu e outras ficaram feridas após uma caminhonete em alta velocidade cortar uma manifestação promovida pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) em Valinhos, interior de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (18).

De acordo com o MST, as famílias do Acampamento Marielle Vive estavam entregando alimentos e panfletando para pressionar a prefeitura por fornecimento de água quando foram surpreendidas pelo carro. Identificado como ‘senhor Luiz’, a vítima tinha 73 anos.

O MST afirma que o assassino estava armado e ameaçou os manifestantes que tentaram perseguir o veículo. A organização ainda apura o número e o estado dos feridos, entre eles o jornalista Carlos Filipe da rádio Noroeste e do Coletivo Socializando Saberes.

O atropelamento aconteceu na Estrada do Jequitibá em frente ao acampamento, composto por mais de mil famílias da região de Campinas e que ocupou a região no dia 14 de abril de 2018 – um mês após o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, no Rio de Janeiro.

Em nota, o MST lamentou a ocorrência: “Exigimos punição imediata a este assassino, que age sob o clima de terror contra os movimentos populares, incentivado por autoridades irresponsáveis que estão no governo brasileiro.” (pulsar)

*Com informações do MST e Carta Capital

Faça um comentário

55 − 54 =