Maioria da população brasileira tem medo da Polícia Militar


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

De acordo com pesquisa recente do Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 62 por cento da população que vive em grandes centros urbanos diz ter medo de ser alvo de violência da Polícia Militar (PM). Desse quantitativo, 67 por cento têm renda familiar de até dois salários mínimos e 71 por cento são negros.

Levando em consideração que boa parte da população brasileira hoje é composta pela classe média, o levantamento mostra, de maneira indireta, que não é somente o principal ‘público-alvo’ da PM que tem medo da instituição, mas que esse temor já atingiu outras camadas da sociedade, já que somente os negros e pobres não seriam o suficiente para compor essa maioria que diz ter medo de polícia.

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2014, as polícias militares e civil do país mataram, em cinco anos, a mesma quantidade de pessoas que a polícia norte-americana matou em três décadas. Entre 2009 e 2013, foram 11 mil 197 mortes – número que supera e muito o de países que aplicam a pena de morte, por exemplo.

Para Bruno Paes Manso, jornalista e pesquisador do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP), a origem desse temor que agora vem à tona é o resultado de uma atuação de mais de 40 anos das forças policiais, que encontraram na truculência a maneira de lidar com a violência urbana agravada a partir do crescimento desordenado das grandes cidades. Segundo ele, utilizando-se de métodos consolidados na ditadura militar, a PM teve ‘carta branca’ da sociedade para atuar dessa maneira e chegar a essa alta taxa de letalidade. Paes Manso acredita que o que antes era tolerado agora ficou ‘incontrolável’. (pulsar/revista fórum)

Faça um comentário

17 − = 13