Lucros de empresas públicas alvos de privatização cresceram 132% em 2018


Faixada do Banco do Brasil, em Brassília (Elza Fiuza/Agência Brasil)

As principais estatais federais, alvos de privatização do governo Bolsonaro, registraram crescimento de 132 por cento em 2018, um lucro líquido na ordem de R$ 74 bilhões, segundo o jornal Valor Econômico. O secretário de Coordenação e Governança das Empresas Estatais do Ministério da Economia, Fernando Soares, atribui o desempenho das estatais a um processo de redução das despesas e vendas dos ativos, conduzido desde 2016.

Se forem alvos de uma política de privatizações, no entanto, conforme desejo já anunciado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, o Estado perderia, além desse importante volume de recursos em forma de dividendos, ferramentas importantes para impulsionar a economia, alerta o diretor técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, em entrevista à jornalista Marilu Cabañas, da Rádio Brasil Atual, sobre empresas públicas como Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Federal, BNDES, Correios e Eletrobras, entre outras.

Ao pretender abrir mão do controle público de setores estratégicos, o Brasil atua em descompasso com o processo de reestatização pelo qual passam os países mais desenvolvidos, de acordo com estudos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

“Se a gente está abrindo mão desses instrumentos, nós estamos abrindo mão da capacidade do Estado e do governo de coordenar e conduzir o processo de desenvolvimento econômico”, alerta Clemente. (pulsar/rba)

Faça um comentário

+ 38 = 41