Jogos olímpicos expulsam 67 mil pessoas de casa e remoções continuam


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

Entre os anos de 2009 e 2013, 67 mil pessoas foram removidas de suas casas pela Prefeitura do Rio. Tomando por base o senso do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2010, é como se fossem desalojados de suas residências todos os moradores dos bairros da Urca, Cosme Velho, Glória, São Conrado, Leme e Gávea de uma só vez.

Faltando um ano para o início da competição, o número de remoções continua aumentando. No último dia 28, Jane Nascimento, moradora da Vila Autódromo, teve a casa onde morava com o marido e duas filhas desocupada para ser demolida. O local vai dar lugar às obras do Parque Olímpico, que fica ao lado da comunidade no bairro de Jacarepaguá, na zona oeste.

De acordo com Jane, o sonho dos moradores era construir um plano de urbanização para continuar na comunidade, que seria transformada em um bairro modelo.

Dos mais de 700 imóveis que existiam, poucos estão de pé. Os moradores que continuam na Vila Autódromo têm de conviver com os escombros e com as máquinas que de um lado fazem obras no Parque Olímpico e do outro destroem as casas. Jane e outros moradores foram obrigados a sair de suas casas e receberão indenizações pagas pela Prefeitura. Segundo ela, como o governo viu que a Vila Autódromo conseguiu se organizar, tentou comprar as pessoas, subornar direitos com uma indenização. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

− 5 = 5