Indicação de relator da ‘reforma’ confirma que governo não tem base na Câmara


(foto: Jair Bolsonaro/Agência Brasil)

O governo Bolsonaro não tem base na Câmara dos Deputados e conta apenas com seu partido para tentar aprovar a “reforma” da Previdência. A avaliação é do deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), após o presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Casa, Felipe Francischini (PSL-PR), ter informado  que o relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC)  será o Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG). A CCJ é responsável por analisar a admissibilidade do texto, primeiro passo da tramitação da matéria na Câmara.

Francischini também detalhou o calendário da análise da proposta na CCJ. Na quarta da semana que vem (3), o colegiado vai receber o ministro da Economia, Paulo Guedes e no dia seguinte a PEC será discutida em audiência pública com juristas. Na segunda semana de abril, será realizada a leitura do parecer. Franciscini reafirmou que pretende votar a PEC da Previdência na comissão em 17 de abril.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, esteve presente no anúncio do nome do relator. Segundo ele, a escolha do Delegado Marcelo Freitas “é resultado do diálogo que construímos”.  Ele acrescentou que esteve hoje com o presidente da Câmara e que, quando voltar de Israel, o presidente Jair Bolsonaro receberá os líderes partidários para “apaziguar” a base. (pulsar/rba)

Faça um comentário

99 − = 96