Funai é entregue a delegado que pediu ações da PF contra guaranis em 2017


Marcelo Augusto Xavier, ao centro / Causa Operária (foto: reprodução)

A Fundação Nacional do Índio (Funai) será comandada pelo delegado da Polícia Federal Marcelo Augusto Xavier, segundo anunciado nesta sexta-feira (19) no Diário Nacional da União (DOU).

A nomeação agrada os ruralistas, que pressionaram pela demissão do ex-presidente Franklimberg Ribeiro. Este deixou o cargo em 11 de junho afirmando que o secretário especial de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, o ruralista Nabhan Garcia, “saliva ódio aos indígenas”.

O delegado ficou conhecido por seu engajamento pró-ruralistas na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Funai, em 2016, que foi bastante questionada por lideranças indígenas e organizações socioambientais.

“Idealizada e conduzida por alguns parlamentares ruralistas, que indicaram a maioria dos seus membros, a CPI limitou-se a ouvir depoimentos e fazer diligências superficiais. Não tendo sido capaz de identificar irregularidades na atuação dos órgãos federais, passou a perseguir pessoas e organizações que apoiam os direitos territoriais indígenas e quilombolas e que oferecem resistência à aprovação da PEC nº 215 e de outros projetos anti-indígenas”, disse à época um editorial do Instituto Socioambiental.

Em 2017, segundo informa reportagem do Estado de S. Paulo, Xavier pediu à Polícia Federal que tomasse “providências persecutórias” contra indígenas e ONGs no Mato Grosso do Sul. Ele se referia aos povos guarani e kaiowá sob ataque de ruralistas e proprietários de terras. (pulsar/brasil de fato)

*Reportagem completa no site Brasil de Fato

Faça um comentário

78 − 68 =