Fome afeta mais de 800 milhões de pessoas no mundo e Brasil é exemplo no combate


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

O Relatório Anual sobre o Estado da Insegurança Alimentar no Mundo divulgado este ano revelou que a América Latina e o Caribe possuem os maiores progressos no combate à fome. O documento, elaborado pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), apresenta a quantidade atualizada de pessoas que sofrem com a fome no planeta.

De acordo com o relatório, em 2013 um total de 805 milhões de pessoas, cerca de uma em cada oito no mundo, sofria de fome crônica, ou seja, não come o suficiente para ter uma vida ativa. Desde o ano de 1990 foi verificada uma queda de mais de 200 milhões de seres humanos nesta situação e de 100 milhões na última década.

O relatório deste ano inclui sete estudos de caso, que destacam algumas das formas com as quais os países abordam a fome e como os eventos externos podem influenciar o alcance dos objetivos de segurança alimentar e nutrição. Bolívia, Brasil, Haiti, Indonésia, Madagascar, Malawi e Iêmen foram escolhidos devido à sua diversidade política, econômica e diferenças culturais.

Segundo a Organização, o Programa brasileiro Fome Zero, que situou a conquista da segurança alimentar no centro da agenda governamental, é a base do progresso que levou o país a alcançar tanto os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) como os objetivos da Cúpula Mundial sobre Alimentação. O documento afirma que os atuais programas de erradicação da pobreza extrema no Brasil se baseiam no vínculo de políticas para a agricultura familiar com a proteção social de forma muito inclusiva. (pulsar/adital)

Faça um comentário

+ 40 = 49