Famílias ocupam terreno ao lado do Itaqueirão para exigir direito à moradia


Ocupação Copa do Povo, em São Paulo (foto: Danilo Ramos, rba)

Ocupação Copa do Povo, em São Paulo (foto: Danilo Ramos, rba)

Desde o último sábado (3) cerca de 2 mil e 800 famílias organizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) ocupam um terreno abandonado na região de Itaquera, em São Paulo. A ocupação está localizada a menos de três quilômetros do palco de abertura do Mundial de futebol e foi batizada de Copa do Povo.

Segundo o coordenador do MTST, Josué Rocha, o objetivo do movimento é levantar o debate sobre o déficit habitacional no Brasil.  Rocha aponta que caso o  investimento público de mais de 30 bilhões de reais do governo para a realização da Copa fosse destinado à moradia, seria possível construir mais de um milhão de casas populares.

A maioria das famílias que ocupam o terreno em Itaquera são oriundas do próprio bairro e da zona leste de São Paulo. Todos têm em comum o fato de terem sido sufocados pelo aumento dos preços dos aluguéis e pela especulação imbobiliária. Para se ter uma ideia de como a situação habitacional na região ficou fora de controle,  apenas nos últimos seis anos o valor do metro quadrado em Itaquera aumentou 165% , conforme aponta o índice de preços de imóveis, o indicador Fipe/Zap.

O coordenador do MTST  ainda destaca que além do aumento da especulação em áreas que irão sediar a Copa do Mundo, os programas habitacionais são deficientes. Rocha cita como exemplo o Minha Casa, Minha Vida. De acordo com ele, o principal investimento do governo para solucionar o problema de moradia no Brasil destina a menor porcentagem do programa para a população de baixa renda, que recebe de zero a três salários mínimos.  

A ocupação pode atingir até quatro mil barracos e os manifestantes prometem continuar acampados no terreno até que as reivindicações sejam atendidas. O movimento faz parte da campanha ‘Copa sem Povo, Tô na Rua de Novo’ e já pretende realizar outros atos na cidade de São Paulo ao longo da semana. (pulsar)

Audios:

  • : O coordenador do MTST, Josué Rocha, fala do aumento da especulação imobiliária e dos déficits dos programas habitacionais. Clique para baixar (873 KB)

Faça um comentário

+ 78 = 82