Famílias da Vila Autódromo comemoram “vitória da resistência” com reurbanização


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

A resistência de poucas famílias em ficar na Vila Autódromo obrigou a prefeitura do Rio de Janeiro a apresentar um plano de urbanização no início de março. O projeto, discutido com os moradores no dia 23 de março, inclui a derrubada de todas as casas e a construção de uma vila padronizada.

O acordo entre a prefeitura e os moradores, intermediado pela Defensoria Pública, foi assinado no dia 13 de abril. A expectativa do poder municipal é concluir a urbanização até o dia 22 de julho.

O coordenador do Núcleo de Terras da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, João Helvécio de Carvalho, considera o acordo da Vila Autódromo uma vitória que marca um novo paradigma na relação das comunidades com a prefeitura.

Segundo ele, a expressão quantitativa pode parecer que foi uma derrota, mas, pelo contrário, ela significa que as pessoas podem resistir. O defensor destaca ainda que apesar de todo tipo de trauma que os moradores sofreram, o resultado foi satisfatório e isso mostra para outras comunidades, que vale a pena insistir na defesa daquilo que se estabelece como prioridade quando se tem fundamento legal e justo para a sua demanda.

Símbolo de luta da comunidade, a diarista Maria da Penha Macena , mais conhecida como Dona Pena, afirma que a luta valeu a pena. A moradora afirma que não fez nenhum tipo de acordo com a prefeitura porque sempre quis ficar na Vila Autódromo. A diarista está animada com o final da história. (pulsar)

*Informação da Agência Brasil

Faça um comentário

85 − 75 =