Entidades lançam manifesto em solidariedade às vítimas da tragédia de Mariana (MG)


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

Na semana em que a tragédia ocorrida em Mariana, Minas Gerais, provocada pelo rompimento da barragem de Fundão, da Mineradora Samarco completa três meses, entidades acadêmicas, associações profissionais e movimentos populares lançam nota de apoio às vítimas atingidas pelo maior desastre ambiental do país.

O manifesto, assinado por 21 organizações, lembra que o “crime ambiental sem precedentes no Brasil” atingiu mais de um milhão de pessoas na bacia do Rio Doce, deixando “o ecossistema e a biodiversidade profundamente afetados”.

O documento pede cuidado na reconstrução de Bento Rodrigues, atentando às necessidades da população, sua segurança e exigindo sua participação ativa, em uma elaboração coletiva dos projetos urbanísticos e arquitetônicos.

Para os signatários, as perdas ocasionadas pela tragédia não são apenas de ordem material, já que os atingidos pelo rompimento da barragem teriam perdido “seus laços culturais, sua noção de vizinhança, o pertencimento a uma história e a um ambiente que moldou seu modo de viver.”

Além disso, o documento reforça que as obras devem ser custeadas pelas empresas responsáveis pela tragédia, mas que a gestão de todas as medidas deve ser feita pelo Estado. Segundo a nota, transparência e controle social são valores imprescindíveis nesse processo. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

− 2 = 6