Em São Paulo, protesto contra o governo Temer reúne mais de cem mil pessoas


Protesto contra o governo Temer em São Paulo (foto: mídia ninja)

Protesto contra o governo Temer em São Paulo (foto: mídia ninja)

Mais de cem mil pessoas participaram do protesto contra o governo Temer (PMDB) no último domingo (4), na Avenida Paulista. A manifestação, organizada de forma unitária pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, criticou o processo de ruptura institucional no país e a agenda de retirada de direitos anunciada pelo peemedebista.

Cada uma das frentes articulou diversos movimentos populares, entidades sindicais, organizações feministas, estudantis e de juventude.

Os manifestantes começaram a se concentrar em frente ao Masp e, de lá, se dirigiram ao Largo da Batata, na zona Oeste da cidade de São Paulo.

O número de pessoas que compareceram ao ato foi divulgado pelos organizadores. A Polícia Militar (PM) não divulgou estimativa.

Para as entidades presentes, o impeachment, além de ilegal, carrega um conteúdo contrário aos interesses dos trabalhadores. De acordo com Júlio Turra, da executiva nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), depois da farsa jurídica, o golpe se revela na tentativa de liquidação de todos direitos trabalhistas, previdenciários e sociais, além do ataque à soberania nacional com a privatização do pré sal.

Os jovens eram a maioria da marcha. Integrantes do Levante Popular da Juventude carregaram uma faixa em solidariedade à militante do movimento, Deborah Fabri, que perdeu o olho esquerdo por conta de um fragmento de bomba.

Junto aos jovens era possível encontrar manifestantes mais velhos, que comparavam o momento pelo qual passa o país com o contexto autoritário do passado.

No fim do ato, quando grande parte das pessoas já começavam a se dispersar do Largo da Batata, a Polícia Militar entrou em confronto com manifestantes. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

3 + 5 =