Em São Paulo, movimentos sociais se reúnem pelo fim da violência policial


(charge: Naomi Wolf, do Project Syndicate)

(charge: Naomi Wolf, do Project Syndicate)

Uma manifestação pelo fim da violência policial contra os movimentos sociais interrompeu o trânsito em frente à Secretaria de Estado de Segurança Pública de São Paulo (SSP) na noite da última quinta-feira (10).

Concentrados no Largo São Francisco, centro da capital, militantes de diversos movimentos sociais acabaram conseguindo uma reunião com a assessoria do secretário, Fernando Grella. Participaram do ato a Central de Movimentos Populares, o Centro de Direitos Humanos – Gaspar Garcia, a Frente de Luta por Moradia e a União dos Movimentos de Moradia da Grande São Paulo e Interior.

Uma comissão de dez ativistas apresentou à secretaria sete casos em que, segundo os movimentos, houve excesso na ação policial. De acordo com Benedito Barbosa, advogado do Centro Gaspar Garcia, é preciso definitivamente mudar os padrões da Polícia Militar (PM),  principalmente no que diz respeito aos grupos mais vulneráveis: famílias sem-teto, população em situação de rua. Segundo ele, pessoas que às vezes precisam do apoio da polícia são violentadas e agredidas.

No encontro, ficou acertada uma nova reunião para segunda-feira (14) onde serão estabelecidos os termos para uma audiência pública em que os problemas serão discutidos não só com Grella, mas também com o comando da PM. (pulsar)

*Com informações da Agência Brasil

Faça um comentário

+ 35 = 36