Em Porto Alegre, orgânicos se tornam obrigatórios na merenda escolar


alimentos orgânicos (foto: reprodução)

alimentos orgânicos (foto: reprodução)

Porto Alegre avança na política de incentivo aos orgânicos. Alimentação mais saudável para as crianças é o objetivo da Lei 12 mil 125, que “obriga o Executivo Municipal a adquirir produtos orgânicos para serem incluídos no cardápio da merenda escolar dos estabelecimentos da rede municipal de ensino”.

Mais um avanço conquistado com a mobilização coletiva. O texto, aprovado pela Câmara em agosto, definiu percentuais para a compra de alimentos livres de agrotóxicos: 10 por cento a cada ano até chegar a 50 por cento a partir do quinto ano de vigência da lei.

Depois de São Paulo, onde o prefeito Fernando Haddad (PT) sancionou lei semelhante em 2015, Porto Alegre se tornou a segunda capital do País a ter garantido por lei uma merenda mais saudável.

O vereador Marcelo Sgarbossa (PT), autor da proposta junto com o Coletivo Cidade mais Humana, ressaltou que a produção orgânica estabelece uma relação não predatória com a natureza, e também uma maior proximidade entre quem produz e quem consome.

A proposta tem um papel fundamental para incentivar os produtos agroecológicos. O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Cada brasileira consome, em média, 5,3 litros de veneno agrícola por ano. Pesquisas mostram que alguns produtos, como tomate, alface e morango são contaminados por agrotóxicos proibidos para o consumo, sendo que muitos deles podem causar problemas hormonais e até câncer. (pulsar/mst)

Faça um comentário

+ 87 = 92