Em plena campanha para reduzir custos de bancos, Itaú tem lucro de R$ 25,7 bilhões


Bancários do Itaú em Alagoas protestam contra implantação da reforma trabalhista, no dia 1º de fevereiro de 2019 (foto: Contraf)

O Itaú Unibanco teve lucro líquido de quase 26 bilhões de reais em 2018, o que representa um crescimento de 3,43 por cento em relação a 2017. A carteira de crédito do Itaú no Brasil, ou seja, os empréstimos realizados no ano, chegou perto dos 474 bilhões, representando um crescimento de 4,2 por cento.

Outros dois dos principais bancos que atuam no Brasil apresentaram lucros ainda maiores. O Bradesco teve um aumento de 13 por cento nos lucros na comparação 2018/2017, e o Santander, 24,6 por cento. O Banco do Brasil divulga seus resultados na semana que vem.

Apesar do crescimento no lucro dos grandes bancos no Brasil, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) iniciou uma campanha no final de 2018 com propostas para reduzir os juros, que segundo a economista Laura Carvalho, incluem a redução de custos  administrativos, operacionais e tributários dos bancos. Com base em estudos feitos sobre medidas similares, Carvalho argumenta que não há garantias de que as propostas tenham por único efeito o aumento da lucratividade dos bancos.

Outro dos questionamentos que os grandes bancos receberam em 2018, foi o perdão de enormes dívidas com o Estado brasileiro. Segundo o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, o governo de Michel Temer (MDB) através do Refis, perdão concedido pelo governo federal no parcelamento de débitos tributários, absolveu mais da metade das dívidas dos bancos Itaú, Santander, Safra e Rural.

Os quatro bancos negociaram uma dívida total de cerca de 657 milhões de reais, que conseguiram reduzir para 302 milhões. Além disso, segundo o sindicato, somente em 2017, Itaú, Bradesco e Santander eliminaram cerca de 18 mil postos de trabalho.

Itaú Unibanco obteve da Justiça, ainda em 2018, uma liminar para impedir que a Câmara Superior do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) julgasse recurso da Fazenda Nacional referente à fusão entre o Itaú e o Unibanco em 2008. A decisão permite que o Itaú deixe de pagar mais de 26 bilhões de reais aos cofres públicos. (pulsar/brasil de fato)

Faça um comentário

− 5 = 4