Em Brasília, manifestantes realizam protesto contra a concentração da mídia


(foto: carta maior)

(foto: carta maior)

Na última quarta-feira (14) um protesto em defesa da integração latino-americana e contra a manipulação da mídia foi realizado por movimentos sociais em frente à sede da Rede Globo, em Brasília. Ao mesmo tempo, manifestantes se reuniram na Argentina, Cuba, Honduras, México e Peru pelo mesmo objetivo.

De acordo com os movimentos sociais presentes, a principal intenção do protesto foi alertar as pessoas sobre as mentiras veiculadas a respeito da crise na Venezuela. O país que teve o seu principal expoente político centralizado na figura de Hugo Chávez, tomou a decisão política de enfrentar o problema da concentração dos meios de comunicação e tem sido vítima frequente dos grandes grupos de comunicação locais e internacionais, incluindo os brasileiros.

A coordenadora do Coletivo Intervozes, Bia Barbosa, explicou que o ato foi realizado em frente à sede da Rede Globo, pois a emissora é o símbolo da concentração de propriedades dos meios de comunicação no Brasil. 

Segundo Bia, a constituição brasileira prevê que os meios de comunicação não podem ser objetos de monopólio, mas, na prática, estão concentrados nas mãos de poucas famílias e grupos políticos. A militante ainda destacou a importância da campanha Lei da Mídia Democrática, que está coletando um milhão e 300 mil assinaturas pelo país para exigir a pluralidade de vozes na mídia.

O ato contou também com a participação de jovens que estudaram na Venezuela e têm uma visão do país diferente da passada pelos grandes meios de comunicação. Iridiane Seibert, por exemplo, estudou agroecologia. Segundo ela, o acesso à educação na Venezuela é muito maior do que no Brasil. Irene ressaltou que  antes da Revolução Bolivariana, apenas 30% da população  frequentava as salas de aula no país, hoje cerca de 80% dos venezuelanos têm acesso garantido à educação. (pulsar/carta maior)

Faça um comentário

+ 67 = 72