Em 2017, Mato Grosso registrou 72 mortes de crianças xavantes


(foto: Arquivo/Agência Brasil)

Setenta e duas crianças indígenas, do povo xavante, morreram em 2017. Os dados são de levantamento do setor da Vigilância de Óbito da Secretaria de Saúde de Mato Grosso. Foram 23 mortes em Água Boa e 49 em Barra do Garças.

O índice de mortalidade por cada mil nascidos vivos no ano passado foi de 59,6 em Água Boa e 168,4 em Barra do Garças. As principais causas são doenças como gripe, pneumonia, bronquite, diabetes, desnutrição e aquelas provocadas por insetos ou vermes.

Os dados deixaram o governo do estado em alerta. Para buscar soluções contra o alto índice de mortalidade, a Secretaria de Saúde realizou oficina com representantes de governo e lideranças indígenas. A intenção foi debater, além atividades especificas para a saúde, ações de alimentação, estradas para acesso aos serviços e a construção de hospitais com estrutura para média e alta complexidade.

O povo xavante possui o maior índice de mortalidade em Mato Grosso, mas é também a maior população indígena do estado, com 21 mil pessoas distribuídas em 305 aldeias. (pulsar)

*Informação da Radioagência Nacional

Faça um comentário

48 + = 52