Eduardo Cunha é denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro


(foto: reprodução)

(foto: reprodução)

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na última quinta-feira (20). Janot acusa Cunha, investigado na Operação Lava Jato, de ter recebido propina no valor de ao menos cinco milhões de dólares para viabilizar a construção de dois navios-sondas da Petrobras, entre junho de 2006 e outubro de 2012. Na denúncia, Janot pede a condenação de Cunha pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, com 184 anos de prisão.

De acordo com a Procuradoria, Cunha recebeu vantagens indevidas para facilitar e viabilizar a contratação do estaleiro Samsung, responsável pela construção de dois navios-sonda. Segundo a denúncia, a intermediação foi feita por Fernando Soares, operador ligado à Diretoria Internacional da Petrobras, indicado pelo PMDB.

Segundo Janot, para dar aparência lícita à movimentação de propinas foram celebrados dois contratos de comissionamento entre a Samsung e a empresa Piemont, de Júlio Camargo, lobista que aderiu à delação premiada. Daí saíram as propinas prometidas a Fernando Soares, Eduardo Cunha e ao então diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró.

O procurador-geral pede, além da condenação criminal, a restituição do produto e proveito dos crimes no valor de 40 milhões de dólares. A título de reparação de danos causados à Petrobras e à administração pública, pede valor equivalente. (pulsar)

*Com informações da RBA e da Carta Capital

Faça um comentário

42 − 34 =