Donos de afiliada da Globo controlam usina que quer despejar assentamento Milton Santos


Assentamento, referência em agroecologia, luta para ficar na terra. (arte:latuff)

Proprietários da Usina Ester, que tenta na Justiça remover 68 famílias do assentamento Milton Santos, são também donos da EPTV, afiliada da Rede Globo em Campinas. A área ameaçada de despejo é considerada modelo de agricultura limpa de agrotóxicos.

Antônio Carlos Coutinho Nogueira, presidente da companhia de cana de açúcar  e seu irmão, José Bonifácio Coutinho Nogueira Filho, membro do conselho administrativo, são também concessionários de cinco veículos de comunicação, entre rádios e Tvs. As informações foram publicadas pela organização Repórter Brasil.

Pedro Ekman, do Coletivo Intervozes, lembra que concentração da comunicação nas mãos de políticos ou grandes empresários, ainda que inconstitucional, é fenômeno recorrente no Brasil. Ele explica essa realidade ocorre diante da falta de uma política de redistribuição de meios entre mais atores públicos e privados, de diferentes estratos sociais.

O pode econômico tem pesado na disputa jurídica que ameaça as famílias do assentamento Milton Santos. O “Sítio Boa Vista”, como é conhecida a propriedade, pertenceu aos Abdalla. Estes ricos empresários perderam a área por dívidas trabalhistas ainda na década de 70.

Porém, a decisão foi revertida no final do ano passado, quando, por meio de outro processo, este mesmo grupo e a Usina Ester alegaram ter quitado as dívidas que resultaram na desapropriação e readquirido o terreno.

As famílias do assentamento Milton Santos estão na área de 104 hectares no município paulista de Americana desde 2006. Diante do perigo de remoção, elas têm realizado mobilizações para que a presidência da República decrete a desapropriação da terra por interesse social. (pulsar)

Faça um comentário

70 + = 71