Documentos confirmam propina de 5 milhões de dólares para Eduardo Cunha


(foto:reprodução)

(foto:reprodução)

O doleiro Leonardo Meirelles, sócio de Alberto Youssef, acertou um acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República e teria apresentado novas provas da transferência de  cinco milhões de dólares destinados a contas secretas do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Suíça.

O valor seria referente à propina paga ao deputado pelo empresário Julio Camargo após a Petrobras contratar dois navios-sondas da empresa coreana Samsung e da japonesa Mitsui, em 2006 e 2007. De acordo com o que foi apurado, o negócio foi mediado por Nestor Cerveró, indicado pelo PMDB para a diretoria internacional da estatal.

Leonardo Meirelles irá prestar depoimento nesta quinta-feira (7) no Conselho de Ética da Câmara, que analisa o pedido de cassação de Cunha por quebra de decoro. Com os novos documentos, os investigadores da operação Lava Jato acreditam ter fechado as provas necessárias em torno do caso do parlamentar. (pulsar/revista fórum)

Faça um comentário

98 − = 95